skip to Main Content

Informativo

A AADV-PC é entidade de referência na prestação de serviços de reabilitação/habilitação, apoio pedagógico e educacional, social e familiar, para pessoas com deficiência visual, com baixa visão e deficiência visual total.

De acordo com os Decretos Federais ns. 3298/1999 e 5296/2004, considera-se:

– deficiência
Toda perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade, dentro do padrão considerado normal para o ser humano;

– deficiência permanente
Aquela que ocorreu ou se estabilizou durante um período de tempo suficiente para não permitir recuperação ou ter probabilidade de que se altere, apesar de novos tratamentos;

– incapacidade
Uma redução efetiva e acentuada da capacidade de integração social, com necessidade de equipamentos, adaptações, meios ou recursos especiais para que a pessoa portadora de deficiência possa receber ou transmitir informações necessárias ao seu bem-estar pessoal e ao desempenho de função ou atividade a ser exercida.

– deficiência visual
Cegueira, na qual a acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica; a baixa visão, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica; os casos nos quais a somatória da medida do campo visual em ambos os olhos for igual ou menor que 60º; ou a ocorrência simultânea de quaisquer das condições anteriores;

Tipos de Deficiências

Doença como a catarata pode levar a essas dificuldades;

Algumas doenças como a cororretinite macular por toxoplasmose podem levar a essas dificuldades;

O glaucoma e a retinose pigmentar podem levar a essas dificuldades;

Doença degenerativas de retina podem levar a esse quadro visual;

Como Abordar o Deficiente Visual

Passeio

Ofereça a ele seu braço, para que possam iniciar o passeio, avise sobre degraus ou obstáculos em geral;

Conversa

Basta um toque seu para que o deficiente visual saiba, que você esta iniciando uma conversa, sendo assim não é preciso gritar;

Comunicar

Nunca saia de uma conversa ou local, sem comunicar sua saída, caso o contrario continuará falando sozinho;

Curiosidade

Não fique envergonhado se seu filho abordar um deficiente visual, com perguntas que você possa julgar constrangedora. As crianças são simples, sinceras e diretas;

Guia

Ao conduzir um deficiente visual a uma cadeira guia a mão para o encosto, informando se a cadeira tem braço ou não.

Mudanças

Avisar o deficiente visual seja em sua casa ou no trabalho, sempre que houver mudanças de móveis e ou objetos de lugar;

Naturalmente

Seja espontâneo, não meça as palavras, tente agir naturalmente, pois o deficiente visual é capaz de entender uma metáfora.

Back To Top